Um dos grandes sonhos do brasileiro é a compra da casa própria, mas para realizar esse desejo nem sempre é possível economizar dinheiro suficiente para pagar o valor de entrada. Por isso, é cada vez mais comum, o uso do saldo do FGTS para o pagamento de parte do financiamento do seu novo imóvel.

 

Como funciona o FGTS

Conhecido como FGTS, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é uma espécie de poupança para trabalhadores com carteira assinada.  Trabalhadores rurais, temporários, safreiros, avulsos e atletas profissionais também são beneficiados.

Através de conta bancária específica, o empregador deposita cerca de 8% do valor do salário pago mensalmente, incluindo férias e décimo terceiro. Quanto maior o tempo de trabalho com carteira assinada, maiores são os rendimentos deste tipo de poupança.

 

Condições especiais para o saque

No entanto,  o dinheiro só pode ser retirado em situações previstas em lei, como após demissão sem justa causa e para a conquista da casa própria.

Neste último caso, o recurso pode ser utilizado para a compra e construção de um imóvel residencial; quitar o valor total imóvel ou apenas uma parte do saldo devedor e diminuir em até 80% o valor das prestações em até 12 meses consecutivos.

Fique atento, pois essas condições são específicas  para contratos de financiamentos assinados através do Sistema Financeiro Habitação (SFH). Além disso, o FGTS só pode ser usado para adquirir móveis residências e não é liberado para aquisição de imóvel rural, comercial ou compra de terreno e materiais de construção.

 

Regras para comprar um imóvel usando o FGTS

Para dar entrada em uma casa nova usando os fundos do FGTS são:

  •         Pelo menos 3 anos de trabalho com carteira assinada sob o regime de FGTS;
  •         Morar ou trabalhar há mais de um ano na cidade onde está o imóvel a ser adquirido ou em municípios vizinhos;
  •         Não ser titular de qualquer outro financiamento relacionado com o SFH ;
  •         Não ser proprietária de outro imóvel no mesmo município.

 

Qual o teto para a compra do imóvel?

A partir de 2019, o  valor máximo do imóvel permitido pelo SFH  vai subir de R$ 950 mil, valor válido hoje para compradores de imóveis em São Paulo, Minas Gerais, Rio e Distrito Federal, para R$ 1,5 milhão em todos os estados.

Lembrando que em caso de imóvel usado, o mesmo não pode ter sido comprado sob utilização do FGTS há pelo menos três anos. Acima desse intervalo, não há problemas.

Outro detalhe, é que o FGTS só cobre o valor no momento em que o imóvel estiver pronto.  Se você adquire um apartamento na planta hoje por R$ 700 mil, daqui a dois anos, quando ele for entregue, pode estar valendo R$ 800 mil e será o segundo valor que irá valer para a liberação do FGTS.

 

Documentação necessária

Para comprar um imóvel utilizado o FGTS você irá precisar de:  

  •         RG e CPF e/ou CNH;
  •         Comprovante de residência;
  •         Comprovante de estado civil (Certidão de Nascimento, Certidão de Casamento ou Averbação de Divórcio);
  •         Comprovante de renda atualizado;
  •         Carteira de Trabalho atualizada;
  •         Extrato do FGTS;
  •         Recibo e declaração de Imposto de Renda;
  •         E extrato bancário dos últimos 6 meses.

 

Como saber se atendo aos requisitos exigidos?

Antes de criar expectativas,  é preciso certificar de que você atinge todos os requisitos necessários. Para isso, basta consultar as instituições bancárias e solicitar uma simulação online. Durante o processo, você pode avaliar as parcelas e como poderá fechar o negócio  sem comprometer sua vida financeira.